Foda da Reconciliação - Autora: TugaEris

Foda da Reconciliação - Autora: TugaEris

381 visualizações

Foda da Reconciliação Foi o título mais pedido dos últimos tempos, mas infelizmente não passa disso..um título. A vida não é como os contos de fada...

Foda
da Reconciliação Foi o título mais pedido dos últimos tempos, mas infelizmente não passa disso
..
um título. A vida não é como os contos de fada onde sempre tudo têm um final feliz. Na vida as ações têm consequências, isso faz com que estejamos constantemente a pagar pelos nossos erros. Todas as pessoas merecem uma segunda oportunidade, mas eu tive uma segunda uma terceira e uma quarta e fiz merda em todas elas. Existem pessoas que aprendem com erros e outras que simplesmente nunca aprendem, eu pertenço a segunda categoria. Sempre tive todas as oportunidades na vida para ser feliz, quase como os gatos com sete vidas, desperdiçava uma e adivinhem tinha outra, e fui-me acostumando inconscientemente a fazer merda como se as vidas/ oportunidades fossem infinitas. Nunca entendi muito bem como funciona essa coisa que as pessoas chamam «amor», «paixão» e a dedicação e sacrifícios que elas acarretam, até mesmo a trata las com a seriedade que supostamente mereceriam. Sempre fui distraída e muito no meu canto, nunca andei a «caça» achei que a vida tinha outras prioridades como estudar, trabalhar, ser independente, ganhar dinheiro que isso do «amor e uma cabana» e para os filmes, sem amor vivo sem casa e sem comida não! Por isso acabei por não perder muito tempo a «engatar», «namorar», todas as pessoas com quem me relacionei até hoje foram elas que me descobriram, e se esforçaram para que eu lhes desse (atenção) etc
..
aqui entra a minha falha quando essas pessoas se esforçam muito e finalmente captam a minha atenção e apaixono-me dura muito pouco tempo até a relação entrar num (espiral) de problemas, dificuldades, discussões (stress) e essa pessoa que tanto se esforçou deixa de gostar ou perde o interesse se não perder perco eu
..
E entre muitas guerras e muitos erros cometidos
..
chega o tão aguardado fim
..
depois vem o meu luto onde mais uma vez me fecho com ou sem mágoa é indiferente e um tempo que necessito para voltar a confiar e acreditar e ate-me sentir atraída perco essa capacidade de olhar e gostar durante esse luto que demora anos, sim não são dias nem meses e anos
..
Assim sou capaz de desperdiçar dez anos da minha vida em apenas uma ou duas relações
..
Impressionante é um ciclo. Quando era mais jovem achava que era normal e que tudo um dia ia ser mágico, hoje já não acredito nisso, era capaz de apostar a minha vida em como nunca me irei casar e quando digo casar digo mesmo juntar, apostava a minha vida sem olhar para trás porque sei que seria uma aposta garantida o defeito que tenho nas relações é impossível de ultrapassar e não têm a ver com a pessoa tem a ver comigo e com a pouca importância que coloco nas relações. Porque dou pouca importância? Porque é verdade não têm importância, se me derem a escolher entre o meu trabalho e uma paixão, eu escolho o trabalho, família e paixão, eu escolho família, mais ridículo ficar a ver
tv
ou ir jantar com o «boy»
fodase
se já fui jantar essa semana eu prefiro ver
tv
, não suporto que invadam o meu espaço, essa foi uma das razões de achar que estar com homem casado seria uma solução, porque não ocuparia muito do meu espaço, se me relacionar durante muito tempo com uma pessoa solteira e dada a idade adulta ao fim de algum tempo começa aquele tema do posso dormir contigo, e viver juntos, e coisas na casa (etc)
..
Eu nunca na
minha vida fui
ou seria capaz de dividir o meu espaço com um homem provavelmente serei demasiado egoísta para isso. Quem ler este texto pode achar que é mentira, que nunca nenhum homem me quis os/as
azeadas
iram pensar isso, ou que escrevo isto porque ainda aos trinta e sete anos não encontrei a pessoa certa, mas a verdade é que não encontrei nem nunca irei encontrar porque eu não estou disponível para isso a verdade e que eu não quero ninguém que me ocupe a minha cama, use metade das minhas gavetas por muito Príncipe encantado que seja. O meu tipo de relação perfeita, homem que me adore, trate-me como uma rainha, mas não me meta num pedestal tem de ter um par de
colhões
se disser sim a tudo o que eu digo e fizer tudo o que eu quero não vai aquecer lugar não gosto de submissos, homem para mim, têm de desafiar-me, tem de mostrar que gosta de mim, mas que não
e meu
ou xeque-mate jogo acaba, tem de estar comigo no máximo uma vez por semana e sem dia marcado odeio ter obrigações fico sempre doente nesses dias, mas tem de aturar-me todos os dias ao telefone no mínimo duas horas onde eu vomito todos os meus problemas maioritariamente profissionais porque eu sou uma mulher que vivo para o trabalho e tem de aguentar e apoiar-me
..
no
fim de estar duas horas a ouvir-me falar de trabalho acabo a chamada com um:
-
Ta bem
bb
vai la descansar!
...
Atenção há outra parte zero porque, no fundo, só serve para aquilo que eu quero, e aguentam isto três ou quatro anos
fodase
ainda queriam
foda
da reconciliação
??
!
!!
Esta semana a minha médica fez-me uma questão que nunca ninguém me tinha feito e deixou-me a pensar!
-
Estiveste treze anos com mulheres, lésbica assumida e agora estás a cinco anos com homens! Sentes-te preenchida? Achas que te tornas te heterossexual?
Uma lésbica vira heterossexual
??
?
??
? Será
??
?? Escrevo sobre isso numa próxima!  

TugaEris
www.tugaeriscam.com




English FrenchGermanItalianPortugueseSpanish